Técnicos de campo participam de nivelamento tecnológico da lavoura cacaueira, em Jaru


O sistema SENAR-RO/FAPERON (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Rondônia e a Federação da Agricultura e Pecuária de Rondônia), juntamente com a Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO), a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC), a Câmara Setorial do Cacau de Rondônia e a Prefeitura Municipal de Jaru reuniram, nesta sexta-feira (06/03), técnicos de campo e vendedores de insumos que trabalham diretamente com produtores de cacau no estado. O encontro foi realizado na Fazenda Vale do Rio Escondido (Linha 630, km 27,5, Jaru – RO), do proprietário Cláudio Conceição Coimbra, presidente da Câmara Setorial do Cacau.

Presidente da FAPERON, Hélio Dias, e o supervisor do SENAR-RO, Tiago Boni, ao lado dos sete técnicos de campo da ATeG Cacau.


O objetivo foi difundir as novas tecnologias desenvolvidas pela CEPLAC e promover o nivelamento por meio da troca de experiências. Segundo o presidente da FAPERON, Hélio Dias, este encontro representa a união de forças entre as instituições que mais atuam ao lado do produtor. “A EMATER está aí realizando um trabalho há muitos anos, bem como a CEPLAC desenvolvendo pesquisas, recentemente o SENAR entrou com a assistência técnica e gerencial, então é fundamental esse estreitamente para que trabalhemos num mesmo sentido, que é o de elevar, ainda mais, a capacidade produtiva do nosso estado”, declara o presidente.

O encontro

A manhã contou com quatro palestras. A primeira com o agente de atividade agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Eli Costa Lobão, que ministrou sobre os conceitos básicos da nutrição vegetal do cacaueiro. O segundo momento foi uma troca de experiência sobre técnicas de enxertia com o Roberto Moacir Cella da CEPLAC unidade de Cacoal – RO. Na sequência, o Francisco Hildemburg, mais conhecido como Chiquinho da EMATER, trouxe um pouco sobre os estudos de viabilidade técnica e econômica da cultura do cacau. O anfitrião, Cláudio Coimbra, finalizou a manhã falando sobre tendências de mercado.

A parte da tarde ficou por conta de uma visita a uma das áreas de cultivo de cacau da propriedade. A Fazenda Vale do Rio Escondido é hoje um berço de pesquisas com 23 diferentes clones, que vêm sendo observados em 2278 pés. “Essa lavoura é um excelente exemplo para levarmos aos produtores, porque muitos ainda estão na fase de implantação e têm a oportunidade de começarem da forma mais adequada possível”, disse Mirian Gusmão, técnica de campo da Assistência Técnica e Gerencial do SENAR – RO na cadeia produtiva do cacau.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo