População Escolhe Novas Casas

Por  Sãmella Martiniano e Bárbara Dantas

Fotografia Juliana Mota

O dia 15 de maio foi muito importante para diversas famílias de Mutum – Paraná e também para a empresa Energia Sustentável do Brasil, pois, cento e duas famílias, que optaram pelo Reassentamento Coletivo, escolheram suas futuras casas no Pólo Industrial de Porto-Velho – RO. No mesmo evento foi anunciado o novo nome do local, escolhido através de votos dos moradores.

No discurso de abertura do evento o Gerente de Remanejamento, Marco Furini, disse que no Pólo existem cento e setenta e seis casas a serem escolhidas pela população e dentre essas, setenta e quatro estarão reservadas para as famílias que ainda não fizeram suas opções de remanejamento. Na entrevista que cedeu a nossa equipe de comunicação, ele comentou que em Mutum – Paraná tem duzentas e noventa e nove famílias, das quais trinta e oito optaram pela carta de crédito e cento e sessenta e sete escolheram a indenização, e que para chegar a essa negociação trabalhou durante um ano e oito meses conversando com a população sobre o remanejamento e suas condições para ser uma negociação justa e igual a todos. Furini falou também que as mudanças começarão em junho desse ano.

No evento foram ressaltados quatro critérios para a escolha das casas. O primeiro foi a preferência pelas casas situadas em ruas com mesmo nome, onde as pessoas moram atualmente em Mutum. O segundo foi um acordo entre os moradores, caso duas ou mais famílias escolhessem a mesma casa. O terceiro estabeleceu que a Associação poderia priorizar o morador mais antigo, se não houvesse acordo. O quarto consistiu no sorteio entre as partes envolvidas, utilizado apenas quando nenhum dos critérios anteriores funcionasse. Após a escolha das casas os moradores e a empresa Energia Sustentável assinaram um termo de Escolha de Residência no Pólo.

Essa mudança trouxe esperança aos moradores, mas, também trouxe dúvidas.

Em entrevista com Sônia Cabral ela relata que terá dificuldades para se habituar no Pólo, mas tem esperança que continue sendo um lugar bonito e organizado.

Luci Curti e Tisciana Carvalho, também moradoras de Mutum, esperam moradias de qualidade, melhores condições de vida e fácil acesso a órgãos públicos como correio, agência bancária, casa lotérica, sem precisar se deslocar para a capital, Porto-Velho.

Não são apenas os moradores que sentem as mudanças, a Assistente Social Cleci Diedacho, técnica da Energia Sustentável do Brasil, reconhece esta situação e comenta sobre o assunto: “As famílias terão uma mudança total de cultura, vizinhos, comércio, casa, mas vamos fazer o possível para não sofrerem um impacto social muito forte. E para isso acontecer iremos acompanhar as famílias nesse processo de adaptação auxiliando no que for preciso”.

A esse respeito Crezilda Coelho, moradora e comerciante em Mutum, disse que acha difícil o desligamento com a vizinhança e Elizete Oliveira, dividindo a mesma opinião, desabafa: “Vou sentir falta das pessoas de Mutum”. Tisciana Carvalho completa: “Seria melhor se todos tivessem decidido vir morar no Pólo”.

A Energia Sustentável do Brasil, no fechamento do evento, anunciou o resultado da votação realizada entre os moradores para a escolha do novo nome para o local.

O resultado da votação expressou o desejo dos moradores, não apenas, de preservar a identidade de Mutum-Paraná, como também de ter uma nova vida. Participaram da votação 199 pessoas da comunidade e com 95 votos, o nome NOVA MUTUM-PARANÁ foi o escolhido.

0 visualização0 comentário